Cigarros eletrônicos são na Índia


A ministra das Finanças, Nirmala Sitharaman, afirmou à imprensa que a medida também abrange a produção, fabricação, importação, exportação, transporte, venda, distribuição, armazenamento e publicidade dos produtos.

Popularização e aumento dessa tendência entre os jovens, eles têm encorajado o vício em nicotina. A ministra afirmou que, em dados da experiência dos Estados Unidos nesta questão, o hábito de fumar aumentou 77,8% entre os jovens. Entre os alunos do ensino médio americano, esse dado é de 48%.

Já que possui cerca de 106 milhões de fumantes adultos. A proibição dos cigarros eletrônicos, apesar de acabar com startups como a Juul, não vai afetar as grandes e tradicionais produtoras de tabaco. De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), o uso de tabaco no país é responsável pela morte de aproximadamente 1 milhão de pessoas por ano.

Pelo parlamento da Índia, embora essa etapa seja normalmente considerada uma formalidade.

Pagar uma multa de 100.000 rúpias (US $ 1.405) e a prisão por até um ano. Já quem infringir a medida mais vezes terá uma penalidade de até três anos e multa de até 500.000 rúpias. Ainda não está claro se os usuários dos cigarros eletrônicos serão proibidos de consumir.

Regulamentação sobre esses os cigarros eletrônicos, em resposta às preocupações com a saúde dos seus jovens. Este mês, o governo americano afirmou que está trabalhando em uma política de conformidade para cigarros eletrônicos com sabor, que são especialmente atraentes para as crianças.

Postar um comentário

0 Comentários