Filme Bohemian Rhapsody


Com um grupo tão rico em conteúdo, personalidade e uma história conhecidamente conturbada, a expectativa de mergulhar em seus bastidores e conhecer melhor as pessoas envolvidas é inevitável ao encarar uma sessão de Bohemian Rhapsody. Tudo, é claro, embalado por boa música.

Roger Taylor (Ben Hardy) e John Deacon (Joseph Mazzello) abalam o mundo da música com a banda Queen. Mas o complexo estilo de vida atrelado ao sucesso, somado à excentricidade de seu vocalista torna sua convivência complicada.

Oportunidade, uma vaga de vocalista em uma talentosa banda, somou a ela seu estilo incomum, mudou seu nome para Freddie Mercury e o Queen se tornou um sucesso. Rápido assim, logo nos primeiros minutos sem grandes detalhes ou empecilhos, Bohemian Rhapsody, nos apresenta o surgimento da banda e seus primeiros sucessos.

Pais de uma família tradicional e rígida, um relacionamento incomum com Mary (Lucy Boynton), um convívio delicado e complexo com sua banda, um processo criativo louco, brigas com a imprensa, um agente mal intencionado e dúvidas sobre sexualidade. Mas o roteiro apenas aponta cada uma destes aspectos da vida de seu protagonista, sem realmente se aprofundar em nenhuma delas.

Mike Myers, como o agente que perdeu o Queen. Enquanto Freddie é colocado em um pedestal como um deus da criatividade, incluindo a personalidade difícil e até antipática aos olhos dos reles mortais. Os demais membros da banda parecem não ter falhas e sempre agir de forma equilibrada e profissional, acentuando a excentricidade de seu membro mais famoso. O resultado é um grupo de personagens artificiais, e consequentemente situações artificiais, que nos impedem tanto de conhecer a fundo os personagens, quanto ter aquela sensação de imersão nos bastidores da banda.

Sim se empolgar com os números musicais e até esquecer que está no cinema e eventualmente cantar junto. Mas isto é mais mérito da banda que já conhecemos fora das telas e de sua longa lista de sucessos devidamente espalhada ao longo da projeção, do que do roteiro propriamente dito.

Postar um comentário

0 Comentários