Filme Os Incríveis 2


Continuação de seu sucesso mais "sequenciável". Os Incríveis (2004), terminava com a família de super-heróis mais bem sucedida dos cinemas, iniciando uma luta com o escavador. Gancho excelente que foi aproveitado nesta tardia sequencia, Os Incríveis 2 continua a história exatamente onde o filme anterior a deixou.

Grande público ainda é contra suas atividades e os estragos consequentes dela. Com o programa de proteção à super-heróis encerrado, sem casa (lembra que explodiu no longa anterior?) e sem emprego, a família Pera se encontra em apuros quando os irmãos Winston e Evelyn Deavor (respectivamente Bob Odenkirk e Catherine Keener no original, Otaviano Costa e Flávia Alessandra na versão dublada), aparecem com um plano para melhorar a imagem das pessoas com poderes. Assim, a Mulher elástica (Holly Hunter) é escalada para mostrar o ponto de vista daqueles que estão em ação, enquanto o Senhor Incrível (Craig T. Nelson) fica responsável por cuidar da família. É claro, um misterioso novo vilão aparece para colocar tudo em risco.

Mostrando que o estúdio continua atento às discussões da sociedade atual. Helena precisa provar aos outros que é uma heroína tão eficiente quanto qualquer homem, ao mesmo tempo que precisa confiar que sua família pode sobreviver sem ela. Já Beto precisa superar a inveja por sua esposa ser considerada mais apta que ela, e descobrir que o trabalho de casa é tão difícil e digno quanto salvar o universo.

Pai de família que é sua maior proteção, a dupla precisa descobrir como utilizar seus dons, literais e metafóricos em novos contextos. As crianças também tentam encontrar seu lugar nesse novo contexto familiar, embora com arcos muito mais simples. Eles são meros complicadores para os desafios dos pais. Zezé, no entanto, rouba a cena com seus recém adquiridos poderes, e sua completa falta de controle e noção de perigo, afinal ele é um bebê.

Adorados pelo público ambos, são bem aproveitados pela trama, e ganham mais espaço. Assim como alguns heróis estreantes, o destaque aqui fica com Void (Sophia Bush). Mas não aparecem por tempo suficiente para satisfazer nossas curiosidades sobre eles. O gostinho de "quero mais" que a modista gerou em todos na primeira aventura continua presente.

Postar um comentário

0 Comentários