Homem Formiga e a Vespa


Vespa surpreende ao trazer maio conexão com Capitão América: Guerra Civil. O que não significa que a produção esteja deslocada no universo cinematográfico da Marvel, ou mesmo que sua trama seja irrelevante para o desenvolvimento das próximas aventuras.

Um sonho sobre o reino quântico, o faz retomar contanto com Hank Pym (Michael Douglas) e Hope (Evangeline Lilly). O cientista e a filha são fugitivos desde que Scott foi preso, já que são responsáveis pela criação do Homem-Formiga. A missão da vez, é resgartar Janet Van Dyne (Michelle Pfeiffer)que desapareceu há trinta anos, no tal reino quântico. Além da complicada tarefa, os heróis ainda tem que lidar com o FBI e com aqueles que estão interessados em roubar sua tecnologia, e claro, um destes ladrões tem poderes especiais.

Uma jornada em fuga ou no mínimo de correria. Já que além de trabalhar escondidos de seus muitos perseguidores, eles tem um tempo limitado para executar sua missão.

Repetitiva e pouco explorada. O traficante de tecnologia parece ter sido incluindo apenas para aumentar o volume de ameaças aos protagonistas. O agente de condicional, Woo (Randal Parl), é uma aquisição divertida para o universo. Enquanto a vilã Fantasma (Hanna John-Kamen), é mais interessante por seu passado, e possibilidades futuras que de fato, por sua jornada neste longa.

Roteiro, já que sua função é de mero complicador para o desenvolvimento dos arcos principais. E o foco aqui são as relações familiares. Entre Lang e sua filha Cassie (Abby Ryder Fortson, roubando a cena), Hope, Hank e Janet, e claro do casal protagonista com o romance ainda em desenvolvimento.

Postar um comentário

0 Comentários