Resenha da Bao


Estes são os temas que Bao, curta que acompanha Os Incríveis 2*, pretende e consgue trabalhar em apenas oito minutos de tela.

Entendiada, até que um de seus bolinhos ganha vida e ela encontra uma nova razão de viver. Ela e seu novo protegido passam pelos muitos estágios da relação entre mãe e filho.

Bons momentos, e até aqueles não tão agradáveis assim. É na familiaridade com esta relação universo que o longa escrito e dirigido por Domee Shi cria uma forte conexão com seu público.

Que você se identifique com as experiências da dupla. Estas consequentemente culminam na independência do rebento, e na síndrome do ninho vazio para a mãe. E na necessidade de superar este marco na vida.

Tão forte com os pequeninos, afinal eles ainda estão no início desta jornada.  É o visual fofo e rechonchudo, e as situações engraçadas,  que devem prender a atração dos mais jovens. Enquanto o seu público principal os adultos, que os acompanham os filhos, se deliciam com uma história doce, melancólica e principalmente sincera.

Postar um comentário

0 Comentários