Resenha da Crônicas de Natal


Goza da mesma qualidade das séries. Pois com Crônicas de Natal, o serviço de streaming pode ter conseguido um acerto.

Dupla decide ser os primeiros a registrar imagens do Papai Noel (Kurt Russell), apesar de o adolescente não acreditar mais no bom velhinho. É claro, a entidade mítica não apenas aparece, como seu encontro coloca o Natal, e o mundo inteiro em risco.

Sessão da tarde da década de 1990. Chegando até a abusar um pouco dos clichés deste sub-gênero. Por isso, deve agradar os pais da molecada atual, que cresceram com este tipo de filme, mesmo que a capacidade de embarcar neste tipo de aventura não seja o mesmo da infância.

Prendem a atenção até dos bem pequenos. A trama é simples e cheia de lições para eles. Noel perdeu o trenó, as renas e os presentes e precisa reunir tudo e entregar todos os mimos antes da noite acabar. Os irmãos precisam superar a morte dos pais, acreditar em si mesmos, e ajudar um ao outro.

Claramente se divertindo, o ator entrega um Noel estiloso, inconformado com a figura que os humanos tem dele, e que adora fazer charme com suas habilidades mágicas. Inclua aqui um meio braga, porém extremamente divertido blues natalino, que já deveria entrar na lista de clássicos musicais de fim de ano, apenas pelo carisma com que é executado.

Solução preguiçosa para as dificuldades, como inevitavelmente nos faz questionar: se tinham essa habilidade porque.

Também criadas por computação gráfica, apresentadas anteriormente. Super coloridos, os elfos parecem saídos de um filme de animação, isso vai agradar os bem pequenos, mas soa meio bobo para os mais velhos.

Papai Noel,Crônicas de Natal consegue sim ser aquele programa para toda a família curtir no pós ceia. Peca um pouco pela falta de originalidade, mas acerta no tom esperançoso, no humor e principalmente no seu jovial bom velhinho.

Postar um comentário

0 Comentários