Brinquedos que Marcaram Época


Questão tem episódios solo, focados em personagens, que você já conhece. Aliais, são nomes para quem você provavelmente inventou suas próprias aventuras. Não adivinhou? Trata-se da série Brinquedos que Marcaram Época.

Desenvolvimento e as trajetórias de quatro produtos voltados exclusivamente para a diversão infantil. Muitas entrevistas (algumas inéditas), comerciais antigos e até algumas reconstruções, ajudam a contar as histórias de brinquedos de sucesso. Inclua aí, as boas idéias, as soluções de última hora que deram certo (ou não) e até as escolhas comerciais mais absurdas.

Tirar uma pequena fábrica do anonimato. A adaptabilidade da Barbie aos novos tempos. O universo expandido, e loucamente criativo (a palavra chave é louca!) de He-Man. E as duas era das bonecas para meninos action-figures do G.I. Joe, que chegaram no Brasil como Falcon e Comandos em Ação. Curiosamente, todas as histórias centradas em bonecos, mas não se engane, todos eles tem acessórios (vendidos separadamente, é claro).

Todos eles tem boa popularidade em terras tupiniquins. A Barbie ainda está por aí e o Falcon era objeto de desejo caro da molecada. Já os bonecos de Star Wars e He-Man podem não ter tido tanta popularidade por aqui, mas seus universos "tem a Força" em nossos imaginários. Logo, não é nada difícil se relacionar com a trajetória de cada um deles, mesmo que você só tenha visto os Comandos na prateleira do seu vizinho. Além disso suas histórias curiosas são dignas de roteiros de ficção.

A edição, cheia de montagens engraçadinhas, também segue este estilo. Sem, no entanto, deixar de apontar que o mercado de produtos infantis não é brincadeira. A identidade dos profissionais entrevistados, também ajuda no tom. A maioria "gente grande" que gosta de trabalhar com brinquedos, e talvez por isso tenha assimilado um pouco desta diversão na forma de ver a vida. Embora seu humor em alguns momentos não seja exatamente apropriado para crianças.

History e Discovery Channel, bem familiar ao público atual. O único grande problema vai ser notado por quem optar pela versão dublada. Assim como esse tipo de documentário na TV, a versão em português mantém o áudio original das entrevistas como som de fundo. Prática que aliás nunca entendi, será que só eu fico incomodada com o duplo.

Que a Netflix lançou sem muito alarde. Deve agradar as gerações que brincaram com estes produtos, interessados no tema, além de atiçar a curiosidade dos mais novos. Vem molecada! Bora descobrir como se brincava antigamente, e porque estes estranhos pedaços de plastico sem grandes recursos tecnológicos fizeram tanto sucesso.

Postar um comentário

0 Comentários