CONFIRA

Filme A Colônia


Que me levem para seu universo e me deixem viver um pouco por lá. Mas a história de Ezekiel Boone se passa em nosso mundo mesmo, então nem faria tanto sentido assim.

Lançamento “acidental” de uma bomba nuclear chinesa em seu próprio território. O que o nosso mundo globalizado, cheio de recursos de comunicação demora a notar é que estes eventos estão conectados e envolvem uma espécie completamente desconhecida de aranhas.

Evolução de uma catástrofe em escala mundial através de casos isolados ao redor do mundo. Até que em algum momento a devastação chega à um ponto crítico e os personagens que ainda estão vivos à essa altura precisam unir esforços para salvar a humanidade.

Claro, a cientista especialista em aranhas, estão entre os vários personagens que acompanhamos durante o desenrolar deste apocalipse. Apesar da promessa abordagem global, logo fica evidente: assim como nos filmes o foco é os Estados Unidos.

Britânica, é pelos olhos de estadunidenses que acompanhamos os incidentes próximos a eles, e os ao redor do mundo. Estes últimos através das notícias confusas e desencontradas, comuns em situações de crise. Não é surpresa, considerando a nacionalidade do seu autor.

Leitor sobre o que realmente está acontecendo.O que não demora muito, já que temos informações privilegiadas em relação aos personagens.A partir daí é com a reação deles que nos preocupamos. Embora sejam muitos, e haja pouco tempo para desenvolvê-los, é fácil nos relacionar com estes arquétipos já bastante conhecidos.

O problema é o andamento da trama,Novos personagens ainda estão sendo apresentados, para terminar a tempo a narrativa teria que acelerar ao ponto de destoar da primeira metade, ou ter um final súbito, brusco e definitivo (esta segunda opção, até me parece interessante). Mas a explicação não era nenhuma das alternativas anteriores.

Postar um comentário

0 Comentários