CONFIRA

Filme A Torre Negra


Ainda sim, essas versões "criadas pelas emissoras" geralmente ainda deixam uma obra coerente o suficiente para manter o espectador médio interessado. A Torre Negra, já chega aos cinemas trazendo esta sensação de obra picotada, ou no mínimo mal montada.

Conseguir fazer com que acreditem nele, o garoto resolve pesquisar por conta própria e acaba chegando ao Mundo Médio. Terra onde o pistoleiro Roland Deschain (Idris Elba) persegue o Homem de Preto (Matthew McConaughey), que pretende destruir a Torre Negra que protege os mundos, o nosso, o deles e muitos outros.

Tecnologias que desconhecemos, magia, mas nada é devidamente apresentados. Quem são os pistoleiros, quais seus objetivos? E o Homem de Preto, quais são seus poderes? Como ele usa as crianças para destruir a Torre? E porque Jake é diferente?

Mundo,mas assim que este encontra Roland o protagonismo se divide. Não sabemos de fato quem está conduzindo a trama. E enquanto o pistoleiro não precisa explicar nada já que vive neste mundo, o adolescente por sua vez não faz as perguntas que qualquer pessoa faria. Ele nem ao menos parece deslumbrado ou confuso diante desse novo mundo, deixando o expectador à deriva nesta aventura.

Agrava ainda mais quando pensamos nos coadjuvantes, não há nenhum temor por seu bem estar, ou mesmo impacto por sua morte. O trio principal formado por Elba,  McConaughey e Taylor tentam fazer o melhor possível com o roteiro que tem, especialmente os veteranos. Talvez isso, mantenha a atenção do público por um pouco mais de tempo.

Nem de longe parece o outro universo que poderia ser. Um deserto, uma floresta, uma vila, todas poderiam estar tranquilamente dispostas na nossa Terra. É tudo muito bem executado, mas o resultado é genérico. O mesmo vale para as cenas de ação. Bem feitas, mas com um gostinho de "déjà vu".

Livros extensos, com uma narrativa muito rica, mas no longa é tudo muito simples. Os personagens são unidimensionais, e o problema objetivo. Um cara é bom, outro mau. Precisamos salvar o mundo deste segundo que quer destruí-lo por motivos que desconhecemos. Simples assim. Saltando de uma cena para outra, sem uma transição orgânica da trama, soa como um livro de recortes da saga literária.

Postar um comentário

0 Comentários