Marvel, acerta ao mostrar que não pretende depender deles todo o tempo. Os personagens super-poderosos ainda existem, como toda minoria enfrentam preconceito e grande parte dos esforços dos agentes da S.H.I.E.L.D. são voltados para melhorar suas condições de vida, mas estas não as únicas preocupações dos agência. Em cena, permanecem como fixas apenas personagens que pertencem à equipe, Daisy (Chloe Bennet) e Ioiô (Natalia Cordova-Buckley).

Darkhold. Apesar de não ser uma referência direta, o livro místico e do homem que tem um acordo com o diabo é uma alusão ao fato de com a chegada de Doutor Estranho no universo, temas como outras dimensões e o sobrenatural agora podem ser explorados. O que não significa que a série vai deixar a ficção-cientifica e a espionagem de lado.

Holden Radcliffe apresentado ainda na temporada anterior, traz como foco os LDM (Life Model Decoy, Modelos de Vida Artificiais em português). Os androides altamente realistas, são ameaça mais convincente que a maioria dos monstros criados pela restritiva maquiagem da série de TV. Além do fato que podem se passar por pessoas reais, apenas para complicar ainda mais a trama.

Iniciada no ótimo episódio Self Control, o arco é o melhor de todas as temporadas até o momento. Reúne temas desenvolvidos nos arcos anteriores, traz boas cenas de ação - salvo as devidas proporções - e participações especiais interessantes. Culminando em um desfecho bem amarrado para o final do ano. Mesmo o previsível "deus ex-machina" é coerente com o que o programa apresentou até então.

Ser realmente um membro poderoso da equipe. May (Ming-Na Wen), que agora é uma tagarela, e Coulson (Clark Gregg) vêm um início para seu previsível relacionamento, ainda que forçado. O que não precisa ser forçado é a química entre Iain De Caestecker e Elizabeth Henstridge, os intérpretes de Fitz e Simmons. Finalmente um casal desde a terceira temporada, a dupla poderia ficar enfadonha, mas sua relação ganhou um arco próprio bem desenvolvido.

Fazer o que quer, não significa receber o que quer. Os arcos dramáticos ficam por conta do sempre atormentado Motoqueiro Motorista Fantasma e de Mack (Henry Simmons). Este último em um dilema de cortar o coração guardado para os episódios finais.