Startup espacial testa com sucesso


Requisitos era que fossem especificados os meios de transformar a água achada no satélite em combustível. Esse problema já foi resolvido pela Momentus, uma startup do Vale do Silício que está trabalhando (e com sucesso) em um sistema de propulsão a plasma de água.

Terra e, nos próximos meses, a Momentus planeja continuar disparando o propulsor de plasma de água em manobras da nave no espaço. A missão vai também por à prova outros sistemas, como software de voo, sensores de atitude e sistema de energia.

Que a tecnologia de plasma eletrotérmico por micro-ondas está tecnologicamente madura o suficiente para ser usada em missões operacionais de transporte no espaço", disse o CEO da Momentus, Mikhail Kokorich, à SpaceNews.

Projetos da Momentus: os ônibus espaciais Vigoride e Vigoride Extended, cuja missão será mover satélites nas órbitas baixa e geoestacionária. Ambos usarão propulsão a plasma de água.

Espaçonave, todas as unidades foram verificadas e estavam operando como esperado. O El Camino Real testou inúmeras vezes seu propulsor desde o seu lançamento; com isso, coletamos uma riqueza de telemetria valiosa”, disse Kokorich.

Vigoride já no ano que vem.  Com a água como fonte de energia, a empresa pretende lançar as bases para as futuras missões à Lua e outros planetas do sistema solar, como Marte. Kokorich olha longe: ele quer que a Momentus seja a responsável pela prospecção e entrega de água por todo o sistema solar, além de construir estações de energia, fabricar veículos no espaço e até promover o turismo espacial.

Postar um comentário

0 Comentários