Vivo quer dividir compra da Oi


Convencer as empresas América Móvel, dona da Claro, e a Telecom Italia, dona da TIM, a dividir a Oi em uma compra conjunta. A maior dificuldade, neste caso, seria cada uma das três companhias se convencer de que estão sendo igualmente beneficiadas com a divisão. A resolução desse impasse, por si só, poderia atrasar a venda da Oi em vários meses.

Duas para o negócio, uma vez que a Oi possui ativos e infraestrutura suficientes para que todo o grupo aumente sua receita e já herde uma boa quantidade de clientes.

Acordo entre as três teles, de acordo do ponto de vista legal, este tipo de negociação é impossível no Brasil, mesmo após a revisão do Marco Legal de Telecomunicações, que foi sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro, na sexta-feira (04).

Defesa Econômica (CADE) não vinha demonstrando concordância com a concentração do mercado de telecomunicações brasileiro, ao menos, antes da mudança de membros da organização.

Operadoras de telefonia, no Brasil, impacta diretamente na questão da concorrência, o que pode afetar a qualidade do serviço. O órgão já havia exposto opinião parecida quando a Claro resolveu comprar a Nextel.

Lei seja elaborada, para permitir que o acordo conjunto entre Vivo, Claro e Tim seja consumado.

Postar um comentário

0 Comentários