CONFIRA

Z A Cidade Perdida


Quando a maior parte do interior do continente era inexplorada e "cidades perdidas" como Machu Picchu começavam a ser "descobertas". Não é atoa que o explorador britânico Percy Fawcett (Charlie Hunnam) estava certo de poderia encontrar vestígios, ou mesmo uma civilização avançada perdida por aqui.

Século XX. No filme, Fawcett vem a primeira vez para a Amazônia para ajudar da disputa territorial entre Brasil e Bolívia que estava encarecendo o preço da borracha para os britânicos. O objetivo inicial era mapeamento, mas nessa primeira missão, ele encontra vestígios de civilizações avançadas no coração da floresta e se convenceu que haveria uma cidade evoluída e cheia de riquezas a ser encontrada, motivando as expedições posteriores.

Predadores e "índios hostis", o protagonista ainda encararia outras dificuldades. Desde à descrença de seus compatriotas, passando por intrigas nas equipes de expedição e até uma guerra mundial estão no caminho entre Fawcett e seu objetivo. Isto antes de encarar o desfecho, que não é difícil imaginar, mesmo que você não conheça a história do explorador. Afinal, não aprendemos na escola sobre nenhuma cidade avançada com pirâmides feitas de ouro situada na amazônia.

Destemido enfrenta os maiores perigos para descobrir "um novo mundo" civilizado como o dele. Fawcett até discursa como bom moço defendendo os indígenas como iguais diante de seus compatriotas, e na cena seguinte trata sua esposa como inferior por ser mulher.  Uma tentativa de dar um propósito mais nobre que seus verdadeiros objetivos gritantes. Primeiro de reerguer o nome de sua família, depois de entrar para a história e mais tarde provar que não está louco e supostamente se reconectar com o filho. Objetivo que sim poderia ser mais nobre, caso esta relação fosse melhor trabalhada ao longo do filme. E se o expectador ignorar o fato de que o pai em processo de redenção deixa para traz, novamente, a mulher e dois filhos nesta jornada para se conectar com o primogênito.

Hunnam embora se esforce visivelmente, ainda não consegue sustentar o filme sozinho, mas já entrega uma atuação melhor que no recente Rei Arthur: A Lenda da Espada. São os coadjuvantes que vão chamar a atenção. Desde o explorador polar James Murray (Angus Macfadyen), até Henry Costin (Robert Pattinson) e do filho Jack Fawcett (Tom Holland). Pattinson e Holland impressionam em suas boas atuações no tempo de tela que tem.

Postar um comentário

0 Comentários