Trending

Manchester City contra a Uefa sobre Fair Play


Fair Play Financeiro da entidade. Segundo a principal instância do esporte mundial, ainda há a possibilidade de recursos pelo clube inglês. Portanto, o tribunal não poderia julgar, já que só entra em ação quando todas as instâncias possíveis estão esgotadas.

Violações do clube inglês no estatuto da entidade. Com isso, a Câmara de Investigações da Uefa entrou em ação e designou o caso para a Câmara Decisória, que ainda não julgou o caso. A previsão é de que isso ocorra ainda em dezembro deste ano. Caso o clube seja punido e não concorde com a pena, aí sim, poderá recorrer ao TAS.

De acordo com o “ The New York Times”, o comitê deve sugerir à Uefa a suspensão de pelo menos um ano das competições da entidade. Não há certeza sobre se a punição seria na próxima temporada ou em 2020/21.

Autoridades da Uefa e da FA (Associação de Futebol da Inglaterra). A principal violação cometida pelo clube seria a apresentação de falsas informações sobre contratos de patrocínios, que caracterizariam conduta de má-fé. Os documentos usados pelos órgãos reguladores seriam os mesmos vazados pelo Football Leaks no fim do ano passado.

Chegou a uma decisão sobre o julgamento entre Manchester City (MCFC) e Uefa em relação à apelação feita ao TAS pelo MCFC contra as decisões tomadas pela Câmara de Investigações do Corpo de Controle Financeiro dos Clubes da Uefa (Uefa CCFC) datado de 15 maio de 2019.

Uefa CCFC sobre o não-cumprimento do MCFC com as regulamentações do Licenciamento e Fair Play Financeiro dos Clubes da Uefa. Em sua decisão no dia 15 de maio de 2019, o CI decidiu enviar o processo para a Câmara Decisória (CD) da Uefa CCFC e recomendar que uma sanção fosse imposta ao clube.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem