CONFIRA

O Orfanato da Srta Peregrine


Riggs usou fotografias antigas resgatadas de feiras de antiguidades, brechós e similares. Todas com uma história intrigante por trás das imagens.

Forma misteriosa e violenta nos braços do neto, Jacob tem problemas com o luto e decide viajar para a ilha galesa que abriga as ruínas do orfanato que seu avô frequentou na infância. Lá ele descobre o peculiar passado de seu avô e o perigo que o envolvia.

Curiosamente apesar das fotos terem servido como base para a história, esta não depende das imagens para se desenvolver. Uma versão não ilustrada funcionaria bem, perdendo apenas um pouco do charme.

Trazem um ar de autenticidade à trama. Sombrias e com cenas curiosas, trazem cenas que aguçam a curiosidade para além da trama ficcional. Ok, sabemos como o autor escolheu inseri-las na história, mas é difícil não nos perguntar qual era a intenção ao registrar poses e momentos tão curiosos.

Assim como Jacob, não temos ideia do que vamos encontrar na jornada. Nenhuma mesmo, já que as escassas pistas deixadas pelo vovô Portman, não fazem sentido algum. É assim, revelando detalhes e mistérios em doses muito pequenas que Riggs prende a atenção do expectador. Quando os segredos são por fim desvendados, os perigos também e resta aos personagens enfrentar as ameaças.

Povoado por crianças (ou quase isso), a linguagem é simples, direta e objetiva. Proporcionando um ritmo confortável de leitura. Cineasta, reporter e blogueiros o autor é eficiente em descrever cenários e características, criando uma gama de personagens carismáticos e um universo com muito potencial.

Tornou uma trilogia. Cidade dos Etéreos e Biblioteca de Almas completam a série. Enquanto o recém lançado Contos Peculiares, traz uma coletânea dos contos mencionados dentro da série. São as histórias que a Srta. Peregrine conta e reconta para os jovens peculiares.

Postar um comentário

0 Comentários