CONFIRA

Orphan Black 4 temporada


Retorna as suas origens em seu quarto ano. Literalmente, já que um longo flashback que ocupa quase todo o primeiro episódio ressuscita Beth (Tatiana Maslany). Sua investigação, seu suicídio e suas motivações voltam ao centro da atenção.

Sua investigação é o que seu parceiro Arthur "Art" Bell (Kevin Hanchard) sabia. Ou seja, quase nada! Detalhes como a existência de M.K. (Tatiana Maslany) a clone haker, vivendo nas sombras desde então e os misteriosos planos ainda em curso da Neolution. O "campo de estudo"/sociedade secreta apresentado na primeira temporada, acredita que a ciência é o melhor caminho de aprimorar a humanidade.

Em seu esconderijo e estão de volta ao jogo. Este, agora sem excessos é bem explicado para o expectador: Leda e Castor, respectivamente linhagens feminina e masculina dos clones, são dois braços distintos do mesmo experimento. E tem a mesma origem genética Kendal Malone.

Clube dos clones" que tentam eliminar sua doença, e os membros da Neolution que querem reiniciar a experiência com as cópias genéticas. Mantendo Sarah, Cosima (Tatiana Maslany) e Rachel (Tatiana Maslany) focadas no prêmio principal, embora de lados distintos.

Finalmente ver Cosima ganhar espaço para desenvolver sua personalidade. Cientista brilhante em busca da própria cura, a personagem perdeu muito tempo sendo "a homossexual com uma complicada vida amorosa". A personagem é mais que seus romances ou opção sexual.

Ganham uma trama mais densa ao lidar com as consequências de suas atividades criminosas anteriores. Krystall (Tatiana Maslany) e M.K., aparecem pontualmente com informações especiais e atitudes que influenciam a trama principal diretamente. A esteticista apresentada no ano anterior, também assume grande parte do alívio cômico da trama, com seu estilo carismaticamente exagerado.

Postar um comentário

0 Comentários