Possibilidade de vida Equipe de cientista brasileira


Estudou Saturno e suas luas de 2004 a 2017. Titã, com um diâmetro de 5.150 km, é a segunda maior lua do sistema solar atrás Ganimedes de Júpiter. É maior que o planeta Mercúrio.

Carbono, essenciais para a promoção de organismos vivos – desempenham um papel de liderança em Titã.

Laboratório de Propulsão a Jato da NASA na Califórnia, que liderou a pesquisa publicada no periódico Nature Astronomy.

Para a possibilidade de vida em Titã, que muitos de nós pensam que provavelmente teriam evoluído no oceano de águas líquidas sob a crosta gelada de Titã.

Acreditamos que os materiais orgânicos podem penetrar no oceano de águas líquidas e isso pode fornecer os nutrientes necessários para a vida, se ela evoluiu lá.

lagos e oceanos. Em Titã, as nuvens lançam hidrocarbonetos como metano e etano – que são gases na Terra – em forma líquida devido ao clima frio daquela lua.

Regiões equatoriais são mais secas que os pólos, disse a coautora do estudo, Anezina Solomonidou, pesquisadora da Agência Espacial Européia.

Compostas por pedaços congelados de metano e outros hidrocarbonetos, dominam as latitudes médias e as regiões equatoriais de Titã, respectivamente.

Com líquidos estáveis ​​na superfície, com lagos e mares cheios de metano sendo as principais características em suas regiões polares. Áreas montanhosas, que representam partes expostas da crosta de gelo de água de Titã, representam 14% da superfície.

Postar um comentário

0 Comentários