CONFIRA

A Guerra do Streaming Disney


Quibi. Looke. CBS All Access. Com tantos canais de streaming surgindo a torto e a direita de cada canto, duas perguntas se sobressaem: qual será engolido primeiro e quem vai ter dinheiro para assinar tudo isso?

Caminho para que hoje existam tantas companhias surfando na onda do entretenimento on demand, a existência de outras empresas que seguem o caminho e dão continuidade ao que decididamente deu certo não significa, necessariamente, o declínio daquela que abriu o caminho. Ainda assim, este parece ser o grande medo, não fundamentado, de certas parcelas do público.

Daí que surgiu a terceira era de ouro, e o movimento de séries como The Sopranos, Mad Men e Breaking Bad fez com que a televisão não fosse mais vista como um produto inferior ao cinema, mas sim equiparado a ele. À época, canais abertos (como ABC, Fox, NBC e CBS) foram os que precisaram correr atrás para conseguirem manter a relevância de seus conteúdos frente aos altos investimentos dos canais premium. Mas isso não significa que o modelo de séries produzidas com menor orçamento e mais amparadas em “casos da semana” tenha se perdido completamente. Aliás, pelo contrário. Elas só tiveram a ganhar.

Sem que um modelo precisasse ou quisesse destruir o outro. Séries gravadas em frente a uma audiência ao vivo, comédias multicâmera e com claque não perderam público ou sucesso, que o diga Friends e The Big Bang Theory. Dramas de “casos da semana” e procedurais também não perderam o espaço: The Good Doctor e Law & Order: SVU são grandes.

Serviços sob demanda A primeira grande alteração no modelo de consumo de séries a partir do streaming é na lógica de pensamento do espectador, engolido pela ansiedade catapultada pelas redes sociais e pela ideia do consumo absoluto e imediato. A simples e pura existência de um número absurdo e em constante crescimento de canais de streaming não significa necessariamente que é preciso assinar todos e assistir a todos os lançamentos ao mesmo tempo. Significa simplesmente que você pode escolher não apenas o horário em que quer se sentar para assistir a algum episódio de série, mas também se quer assinar, neste mês, Netflix, Prime Video, ou Globoplay. No mês seguinte, você pode cancelar e assinar outro. As opções existem e, pela primeira vez, com menos burocracia.

Postar um comentário

0 Comentários