Kagoshima United em 2019 O drama


Vez em 2019. O slogan deste ano resumia bem o objetivo do clube: "Survive" (sobreviver). Para isso, a base da temporada anterior foi mantida e os principais reforços vieram de Okinawa, com o técnico campeão da J3, o norte-coreano Kim Jong-song, e uma das estrelas do FC Ryukyu, o meia Yuichiro Edamoto. Com muita experiência de J1 na bagagem vieram o volante Kohei Hattanda (ex-Shimizu e Nagoya) e o lateral Noriyuki Sakemoto, que estava no Cerezo Osaka desde quando começou a carreira, em 2003.

O time até tentou jogar mais com a bola no pé, mas faltou qualidade na frente. Entre os poucos destaques individuais, o que mais brilhou foi Taku Ushinohama, a principal válvula de escape do setor ofensivo. Kazuya Sunamori também teve um bom ano, titular absoluto na lateral esquerda e mantendo o alto nível de atuações que mostrava no Azul Claro Numazu. O artilheiro do time foi Han Yong-thae, atacante de ascendência norte-coreana nascido e criado no Japão que começou a carreira este ano, vindo da Korea University de Tóquio. Em meio a tantos atacantes testados, ele foi o único que balançava as redes com certa consistência, mesmo tendo sido titular apenas metade da temporada.

Três vezes nas seis primeiras rodadas, não foi mais relacionado e acabou dispensado em junho. Em agosto veio o centroavante Lucão, que estava no Apollon Larissa, da Grécia, mas ele também não convenceu e terminou o ano na reserva, com apenas três gols. Nildo (ex-Avaí) foi o único que se salvou.

Postar um comentário

0 Comentários