Marte será invadido em 2020 querem encontrar sim vida


Mínima —apenas 54 milhões de quilômetros—, algo que não voltará a acontecer até 2022. Por isso, em 2020 ocorrerá um fato sem precedentes desde o final da Guerra Fria: o lançamento de quatro missões robóticas a esse planeta, três delas lideradas pelas principais potências espaciais, os EUA, a Europa e a China, que pretendem pousar com sucesso seus próprios veículos de exploração com a intenção de ser os primeiros a encontrar indícios de vida.

Científico da missão Marte 2020 da NASA, que afirma que aos projetos mencionados é preciso acrescentar o veículo de órbita lançado recentemente pela Índia e o “entusiasmo crescente” de empresas privadas como a Space X para chegar a esse planeta.

Duas missões espaciais que tentam chegar fracassa. Pousar em Marte requer uma complicada manobra para frear dos 21.000 quilômetros por hora aos que a nave chega a zero em apenas sete minutos, praticamente sem contar com a ajuda da atmosfera marciana, muito mais fina do que a terrestre, e à mercê do tempo do dia nesse inóspito planeta em que não é raro chegar a temperaturas de 100 graus abaixo de zero.

Violenta rajada de vento em altitude. A nave se moveu como um enorme pêndulo, já que ainda estava presa ao paraquedas e seus sensores de altitude apontaram repentinamente ao horizonte em vez da superfície. O computador de bordo interpretou que a nave havia aterrissado, desligou os retrofoguetes antes do tempo e a ExoMars se espatifou contra o gelado solo marciano.

Postar um comentário

0 Comentários