CONFIRA

O Homem Invisível críticos elogiam


História Nunca Contada, em 2014, e depois com A Múmia, em 2017. Em ambos os casos, o resultado foi aquém do esperado, obrigando o estúdio a rever seus planos. Com O Homem Invisível, foi a vez de investir em uma mudança de rumos, deixando de lado a ideia de um universo compartilhado e atualizando a história para o século XXI – e a ideia parece ter funcionado.

Com 91% de aprovação no Rotten Tomatoes, com 120 críticas. A nota deve mudar nos próximos dias, além de receber a avaliação do público, mas já é um início promissor para a Universal. Confira o que dizem algumas das críticas do filme.

Específico que o monstro pode inspirar, e a maneira pela qual essa abordagem é aplicada a uma história muito contemporânea”

Owen Gleiberman – Variety
Orgânica o suficiente para chegar ao público: que em um relacionamento tóxico, o que você vê é o que recebe - mas o que recebe é o que você não vê”.

William Bibbiani – The Wrap
Desnecessária, nenhum momento assustador que pareça estar exagerando. Esta é a história habilmente contada e aterrorizante de um relacionamento abusivo filtrado pelas lentes de um monstro clássico de filme de terror”.

Jude Dry – IndieWire
Sociedade, mas, em sua reformulação fraca de O Homem Invisível, de H.G. Wells, Leigh Whannell tenta mesclar tudo, de iluminação de gás a ansiedades em torno da privacidade de dados, em um thriller tecnológico que é parte da ficção científica, parte do horror e bagunça geral”.

Postar um comentário

0 Comentários