Clique abaixo para manter o site online

Epidemiologista da Casa Branca calcula


Estados Unidos, disse neste domingo em uma entrevista à CNN que o país provavelmente acabará registrando “milhões de casos” e “entre 100.000 e 200.000 mortes”. Ainda assim, ele alertou: “Não quero que se aferrem a isto”, já que a pandemia é “um alvo tão móvel que é possível que nos enganemos facilmente”. Os Estados Unidos estão na liderança entre os países mais infectados pelo vírus, com mais de 125.000 contagiados 56% em Nova York e cerca de 2.200 mortos. Donald Trump anunciou na noite deste domingo que prorrogará as restrições de movimentação até 30 de abril. O governador de Nova York, Andrew Cuomo, já havia prorrogado as medidas no Estado até 15 de abril. “Isto não vai melhorar logo”, advertiu.

Em geral, a realidade está em algum lugar no meio. Nunca vi um modelo das doenças com as quais lidei onde os piores [cenários] de um caso realmente ocorreram. Eles sempre eram excessivos”, esclareceu Fauci, cientista que está há décadas na direção da unidade de doenças infecciosas do NIH (Institutos Nacionais da Saúde, a maior máquina de pesquisa biomédica do mundo).

Governo dos EUA está discutindo se convém suavizar as medidas de distanciamento nas áreas onde a pandemia ainda não golpeou com força. “Não podemos permitir que a cura seja pior que o problema”, disse o presidente dos EUA, Donald Trump, em várias ocasiões. Ele também apontou o dia 12 de abril como uma meta para começar a diminuir as restrições, embora depois tenha esclarecido que a data é uma orientação e decidirá com base nos dados e na recomendação dos cientistas.

Quarentena obrigatória em Nova York, Nova Jersey e Connecticut, onde o vírus se espalha com força. Mais tarde, o presidente tuitou que o Centro de Prevenção e Doenças (CDC, na sigla em inglês) o fez ver que “não era necessário”. Por enquanto, os Estados Unidos não emitiram ordens limitando os deslocamentos de modo compulsório, mas somente recomendações. Um em cada três norte-americanos recebeu apelos para ficar em casa, e há escolas e empresas fechadas em todo o país para conter as infecções, que seguem a tendência de alta. Neste sábado, as mortes aumentaram mais que o dobro em dois dias.

Resposta ao coronavírus da Casa Branca, disse na NBC neste domingo que as regiões do país que registraram poucos casos até agora devem se preparar para o que está por vir. “Nenhum Estado, nenhuma região metropolitana estará a salvo”, esclareceu ela no programa Meet the Press.


FONTE: Brasil Elpais

Postar um comentário

0 Comentários