CONFIRA

Startup que prometia internet rápida via satélite


Continuar seu programa de internet de ultravelocidade via satélite. A proposta seria permitir a conexão em qualquer lugar da Terra, mas a crise do coronavírus e a situação do SoftBank, seu principal investidor, fizeram com que se tornasse inviável continuar com as atividades.

Foram demitidos na última sexta-feira. O anúncio pegou todos de surpresa, já que, na semana passada, um comunicado da empresa falava que haveriam atrasos no cronograma por conta da dificuldade de manter a rede de suprimento, em decorrência da paralisação global.

Mais de US$ 3,4 bilhões em diversas rodadas de financiamento. Segundo a OneWeb, existem US$ 2,1 bilhões em responsabilidades com cerca de 5 mil credores. O projeto inicial previa o lançamento de 640 a 720 satélites, mas apenas 74 deles estão em órbita. E os resultados eram promissores, com velocidades de conexão superiores a 400 Mbps e latência de 32 ms.

Starlink, da SpaceX, que também está na corrida para conquistar as órbitas mais baixa da Terra com seus satélites. A companhia de Elon Musk já possuir 362 satélites lançados, mas as proposta é na casa dos milhares.

Continue a ideia. Os 74 satélites em órbita ainda não são suficientes para atender um serviço de telecomunicações ou até mesmo para gerar receita. Por isso, seria necessário prosseguir com o cronograma de lançamentos. A Amazon e o Facebook já demonstraram ter interesse em sua própria constelação de satélites em órbita baixa, bem como a Space Norway e a Telesat.


FONTE: TECMUNDO

Postar um comentário

0 Comentários