CONFIRA

Petrobras tem 160 casos confirmados


Quais metade é de funcionários terceirizados.A informação foi divulgada nesta sexta-feira, em coletiva de imprensa pela internet, que contou com a participação do presidente e da diretoria da estatal. O diretor de relacionamento institucional da companhia, Roberto Ardenghy, disse ainda que a petroleira estuda a possibilidade de realizar testes sobre infecção de coronavírus em todos os empregados que vão para as plataformas.

Todos que vão para plataformas”, disse Ardenghy. “Estamos conversando com Anvisa [Agência Nacional de Vigilância Sanitária] e fornecedores de teste”, acrescentou.

Estão com produção interrompida por causa de confirmação de casos de covid-19. O diretor de exploração e produção da companhia, Carlos Alberto Pereira de Oliveira, disse que a FPSO Cidade de Santos deve retomar a produção no próximo fim de semana. Já a FPSO Capixaba deve retomar a produção dentro de dez dias. As duas unidades são afretadas pela Petrobras.

Tombo nas cotações do barril de petróleo. A diretora financeira e de relações com investidores da Petrobras, Andrea de Almeida, disse que dificilmente a companhia conseguirá atingir a sua meta de desalavancagem para 2020, mas ressaltou que ainda é cedo para se traçar novos compromissos de redução da dívida com o mercado, no momento.

Vamos viver durante o ano todo.O que sabemos é que vai ser difícil atingir a meta de desalavancagem de 1,5 vez a relação dívida líquida/Ebitda [lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização]. Fazer projeções sobre dívida é muito difícil agora”, afirmou.

Durante o momento de crise do petróleo. No mês passado, a Petrobras sacou cerca de US$ 8 bilhões em linhas compromissadas. “Temos trabalhado para manter a liquidez da companhia. Se necessário for avaliarmos novas linhas de crédito, nós vamos. Mas o foco mais importante, agora, é reduzir custos”, disse.

Lidar com a situação, citando os esforços da petroleira para reduzir custos e investimentos. Questionada se a empresa fará impairments (redução ao valor recuperável) de seus ativos, frente ao cenário de baixa dos preços do petróleo, a executiva respondeu que os testes de imparidade serão oportunamente divulgados ao mercado. Nesse momento de incertezas, segundo ela, ainda não é possível definir “um novo cenário para a empresa”.

Roberto Castello Branco, reafirmou que a companhia não praticará demissões em massa. Com relação a demissões de terceirizados da companhia, porém, o executivo indicou que este é um assunto das empresas que prestam serviço à estatal.

Endereçada a essas empresas, não à Petrobras”, disse Castello Branco, que criticou informações sobre demissões em massa na estatal. “O ônus da prova fica a quem acusa. Desafio alguém a mostrar provas de que a Petrobras está demitindo em massa”, afirmou o executivo. “A Petrobras não tem planos de fazer demissão em massa.


FONTE: Portosenavios

Postar um comentário

0 Comentários