CONFIRA

Prevê queda de 40% na venda de ovos


Aproximadamente, 40% nas vendas de ovos da Páscoa e chocolates este ano, em comparação com o mesmo período do ano passado, em decorrência da pandemia do novo coronavírus.

Há um decreto do governo de isolamento social, para evitar a propagação da doença, resultando assim em baixa movimentação, atípica para o período.

Serviços e Turismo do Estado do Amazonas (Fecomércio/AM), o cenário é de prejuízo, mas ainda não é possível apontar quais serão os reflexos disso. O presidente em exercício da federação, Aderson Frota, disse que alternativas como criar promoções têm sido pensadas como estratégias para minimizar os impactos.

Previsão é feita com base no que conversamos com os empresários. A saída do comércio é fazer promoções para vender esses produtos. É um mundo novo, não sabemos como as coisas vão acontecer. Vivemos um momento de pouca perspectiva e a economia provavelmente vai ser ressentida”, explicou.

Lojas e supermercados começam a se preparar com, pelo menos, 3 meses de antecedência para as vendas da Páscoa. O presidente do órgão, Ezra Azury Benzion, explicou que desta forma não havia como prever uma queda desta proporção, e que agora os comerciantes e lojistas se unem para driblar a crise.

Tradicional bacalhau e outros peixes, que fazem parte do almoço do domingo de Páscoa, não sofreu alterações.

Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), é de 31% em todo o lucro do comércio deste período, um dos mais esperados pelo comércio. A CNC estima perda histórica de R$ 738 milhões em relação ao mesmo período de 2019. O faturamento deste ano no país será de R$ 1,598 bilhões contra R$ 2,336 bilhões arrecadados no ano passado.

Lojas físicas caíram, por outro, os donos de pequenos negócios se reinventam usando a criatividade para dar um boom nas vendas. O serviço de delivery tem sido a saída buscada para adoçar a rotina das pessoas nesse momento.


FONTE: G1 Globo

Postar um comentário

0 Comentários