CONFIRA

EUA começam a reabrir enquanto os casos



Tornou seu epicentro é a seguinte: quase 1,2 milhão de norte-americanos deram positivo em um teste de diagnóstico, quase 69.000 morreram de coronavírus; ao menos 25.000 novos casos são confirmados a cada dia, e o 2 de abril foi o último dia em que menos de 1.000 mortes pelo vírus foram registradas.

Novos contágios e as hospitalizações fossem contidos nas regiões mais afetadas pelo coronavírus. A curva de propagação da pandemia no país reflete um sensível achatamento, mas é um efeito produzido pela melhoria da situação no Estado de Nova York, que concentra quase um terço dos casos confirmados em nível nacional. Excluindo Nova York, onde o número de mortes agora é a metade do registrado durante o pico do início de abril, a curva nacional de novos contágios sobe.

Crescendo todos os dias. Em grandes cidades como Chicago e Los Angeles, que aparentemente conseguiram dobrar a curva, continuam registrando cerca de 2.000 e 1.000 novos contágios por dia, respectivamente, e os casos confirmados dobraram desde meados de abril. Mas o mais preocupante é que novos pontos quentes estão surgindo em localidades rurais onde parecia que o vírus nem sequer havia entrado. É o caso do condado de Dakota, no Estado de Nebraska, onde uma fábrica de processamento de carne se tornou foco de contágios. O condado agora tem o terceiro maior número de casos per capita no país e há menos de um mês não tinha nenhum caso confirmado. Ou Hartsville, no Tennessee, de 11.000 habitantes, que passou de 27 para 1.300 casos devido a um surto em uma prisão.

Processamento de carne, prisões, fábricas, lojas de produtos alimentícios, supermercados e, principalmente, casas de repouso. A própria Administração Trump, segundo um documento interno publicado pelo The New York Times, trabalha com projeções privadas que falam de um aumento de casos e também de mortes, que devem atingir 3.000 por dia em 1º de junho, quase o dobro do número atual.

Os governadores dos Estados levantam as restrições, em muitos casos sem cumprir, e nem sequer mencionar, os requisitos do plano para o afrouxamento publicado com grande alarde em 16 de abril pela Casa Branca. E o presidente Trump aplaude os governadores que levantam as restrições, sem respeitar suas próprias diretrizes, e chama a atenção daqueles que resistem. Na Virginia, onde o número de casos continua crescendo e o governador anunciou que estenderá as restrições até 15 de maio, é um dos Estados que, segundo disse o presidente na Fox, “não está indo suficientemente rápido.

Casa Branca, criada para gerenciar a resposta federal à crise, poderia ser dissolvida em menos de um mês devido ao “tremendo progresso” que o país está fazendo. Transmitindo uma normalidade em desacordo com os dados, Trump voou na terça-feira para o Arizona, em sua primeira viagem pelo país desde o início de março. Antes de decolar, perguntado pelos jornalistas, defendeu que as novas projeções da Administração “são sem medidas de mitigação”. “Nosso país quer abrir. Está nas mãos dos governadores, mas o país quer abrir. E eles têm de abrir”, disse.

Reino Unido ultrapassa a Itália no número de mortes. O Governo britânico não tem outra alternativa senão admitir que o número de mortes por coronavírus no Reino Unido atingiu níveis alarmantes, mas está constantemente pedindo à mídia que evite comparações com outros países até que a pandemia seja controlada globalmente. Atualmente, duas organizações oficiais apresentam números regularmente, que precisam ser explicados em sua metodologia para evitar confusões. Embora seja verdade que, em ambos os casos, o número total seja o mais alto da Europa.

Gales, onde o relatório de óbito assinado por um profissional sugere que a covid-19 foi um fator influente na morte. Até 2 de maio, o número era de 29.648 mortos, somados aos da Escócia e Irlanda do Norte, que realizam sua própria contagem, supostamente registravam dados de 32.313 ― a Itália ainda se aproxima dos 30.000 casos, com 29.315. Horas depois, o ministro das Relações Exteriores, Dominic Raab, anunciou na entrevista coletiva diária os números coletados pelo Serviço Nacional de Saúde (NHS), que acumula esses casos em hospitais, residências e residências nos quais Um teste foi realizado e deu positivo. O número foi de 29.427 mortes.

Reino Unido (42,9) em quarto lugar na Europa, atrás da Itália (47,8), Espanha (54,1) e Bélgica (68,7), mas os dados diários refletem que a pandemia não é controlada de maneira homogênea nas diferentes áreas de risco. Embora o número de mortes em hospitais tenha começado a diminuir acentuadamente nos últimos dias, a situação está longe de ser ótima nas quase 15.000 casas de repouso em todo o país, onde o número de testes realizados está bem abaixo do esperado planejado, e somente agora estão começando a chegar os equipamentos de proteção individual exigidos desde o início pelos responsáveis por esses centros.


FONTE: Brasil Elpais

Postar um comentário

0 Comentários