Planetas que orbitam buracos negros

                              

Prêmio Nobel e astrofísico indiano-americano da NASA, cujo Observatório Chandra de Raio-X foi batizado em sua homenagem.

Planetas aos milhares podem estar orbitando em uma “zona segura” capturada pela enorme força gravitacional desses objetos do espaço-tempo paradoxais, aterrorizantes e “perfeitamente construídos”.

Jeremy Schnittman da NASA sugeriram que planetas habitados podem existir em torno dos buracos negros abrigados no centro da maioria das galáxias, semelhantes ao planeta aquático fictício orbitando o buraco negro supermassivo Gargantua no filme Interestelar.

Que formas extremas de vida possam se formar em alguns desses planetas.

1990 que planetas existem em torno de pulsares. É razoável supor que os planetas também possam existir em torno dos buracos negros, que, talvez surpreendentemente, têm um impacto muito mais fraco em seu ambiente do que os pulsares.

Centro da maioria das galáxias. É até possível que a vida possa se formar em alguns desses planetas, dado que os organismos na Terra se adaptaram a condições extremas, incluindo calor fervente, frio congelante e ambientes ácidos, altamente salgados e até mesmo radioativos.

Bacillus subtilis, Caenorhabditis elegans, Deinococcus radiodurans, Escherichia coli e Paracoccus denitrificans demonstraram viver por meio de acelerações apenas uma ordem de magnitude menor que milhões de gs (gravidades). Se esses mini astronautas, sugere Loeb, pudessem sobreviver a um passeio pelo meio interestelar da Via Láctea, quem sabe o que poderia existir em um blaneta de zona segura.

Terra, o extremófilo tardígrado, um micro-animal de oito patas, sobreviverá até que o Sol morra, de acordo com uma colaboração da Universidade de Oxford em 2017, The Resilience of Life to Astrophysical Events, o que levanta a questão: o que mais está lá fora.



FONTE: OVNI HOJE

Postar um comentário

0 Comentários