Vacina da Novavax tem eficácia reduzida

 


Afirmou ontem (28) que a sua vacina contra a covid-19 oferece uma proteção robusta contra o vírus (a eficácia foi avaliada em 90% na Grã-Bretanha). No entanto, a fabricante reconheceu que o imunizante é menos eficaz contra a variante de rápida disseminação descoberta na África do Sul.

Acabar com a pandemia, principalmente nos Estados Unidos, que relataram os dois primeiros casos da variante do vírus naquele país, apenas algumas horas antes do anúncio da Novavax. Também a Moderna e a Pfizer reconheceram há poucos dias que suas respectivas vacinas também se mostraram menos eficazes contra essa nova cepa do vírus.

Operação Warp Speed, a Novavax realizou testes na Grã-Bretanha, África do Sul, Estados  Unidos e México. Segundo a empresa, no teste feito em 15 mil voluntários na Grã-Bretanha, a vacina de duas doses obteve uma eficácia de quase 90%. Porém, em um pequeno ensaio na África do Sul, essa taxa caiu para menos de 50%.

Elemento desencorajador na luta contra o coronavírus, principalmente quando se leva em conta que muitos dos participantes do ensaio na África do Sul foram infectados mesmos após já terem contraído a covid-19 anteriormente.

Voltam para a Johnson & Johnson, que deveria ter anunciado os seus resultados já na semana passada. Há quem especule que o atraso deve-se à descoberta de que a eficácia da vacina também tenha sido inferior em seus testes na África do Sul. Mas o diretor da empresa, Alex Gorsky, disse que está ansioso para compartilhar os resultados.

Especialistas ressaltam que há motivos para otimismo, visto que as vacinas continuam eficazes. Segundo essas autoridades de saúde, a melhor maneira de combater novas variantes contagiosas é acelerar a vacinação para diminuir a capacidade do vírus de infectar mais pessoas e produzir mais mutações.


FONTE: TECMUNDO

Postar um comentário

0 Comentários