Janela na Espanha fecha e diminui chances

 



Marcos Paulo, que está no fim de seu vínculo nas Laranjeiras e já assinou pré-contrato com o Atlético de Madrid, estão cada vez mais escassas. Na última segunda-feira, a janela de transferências internacionais da Espanha fechou e reduziu ainda mais as chances de o Tricolor conseguir algo em troca para não ter o prejuízo de perder a joia de 20 anos "de graça" em junho.

Porém, o Atlético de Madrid já não vinha demonstrando pressa em ter o atacante, agora então, que não poderá registrar o jogador, é que o clube não terá motivos para pagar algo ao Tricolor. Ainda há uma remota possibilidade de os espanhóis cederem uma parte dos direitos para levarem o jogador antes de junho para adaptação.

Mas um mecanismo da Fifa pouco conhecido garantirá que o Fluminense, ao menos, não saia totalmente de mãos abanando. Trata-se do "training compensation", ou "compensação por treinamento" em português, que vale para casos de jogadores que saem de graça de seus clubes formadores. O ge apurou que o Tricolor terá direito a cerca de € 500 mil euros, pouco mais de R$ 3 milhões.

Desde o primeiro contato, o estafe de Marcos Paulo buscou uma transferência imediata, mas o acordo selado foi apenas para o meio deste ano. Tratava-se de um desejo do jogador em dar algum retorno financeiro ao Fluminense, clube que o formou. No fim, porém, pesou a relevância do clube espanhol no cenário internacional para o projeto de carreira.

Clubes da França e Rússia, além de propostas da Itália. O Parma chegou a oferecer € 1 milhão de euros (cerca de R$ 6,4 milhões) e 15% sobre o lucro de uma venda futura para adquiri-lo imediatamente; já a Internazionale ofereceu um pré-contrato nos mesmos moldes dos espanhóis – sem custos e para o meio do ano. O Fluminense tentou sem sucesso que os espanhóis cobrissem a oferta.

Perder espaço, o atacante voltou a ser relacionado e entrou nos minutos finais contra o Botafogo, mas voltou a ficar fora da lista na partida diante do Goiás no domingo. Questionado na entrevista coletiva sobre a ausência do jogador, o técnico Marcão deu a entender que ele não estava com cabeça para jogar.

Jogo e, em algum momento, sentimos que outros estavam focados nesta partida. Essa foi a opção da comissão pensando no melhor para a equipe. Veio quem estava pensando nesse jogo. É um jogador talentoso, se ele voltar bem, focado, certamente vai estar com a gente de novo.


FONTE: GLOBO ESPORTE

Postar um comentário

0 Comentários