Pesquisadores criam IA capaz de identificar sinais

 


Estados Unidos, desenvolveram um sistema de inteligência artificial (IA) que é capaz de identificar e quantificar sinais fisiológicos associados ao racismo, tecnologia apresentada em um estudo publicado recentemente no ArXiv.

Teste de Associação Implícita, método no qual preconceitos raciais implícitos podem ser detectados com base nas reações das pessoas ao olhar para imagens e palavras que devem ser associadas a expressões como “pele escura”, “pele clara”, “má” e “boa”.

Vestíveis como um Apple Watch ou outro tipo de smartwatch, que tinham a função de medir as reações fisiológicas dos participantes ao se depararem com pessoas estranhas e possíveis ameaças, representadas pelas figuras mostradas a eles.

Respostas dos voluntários e os dados obtidos pelo relógio inteligente enquanto eles faziam o teste. O objetivo era verificar se uma combinação específica de respostas fisiológicas pode nos mostrar se uma determinada pessoa está experimentando sentimentos involuntários de racismo.

Universidade da Virgínia, a IA desenvolvida por eles foi capaz de prever um “viés implícito de racismo” a partir da análise de sinais fisiológicos com uma precisão de 76,1%.

Baixa, mas levando em conta que a finalidade do estudo não era criar um smartwatch capaz de detectar racistas, o resultado pode ajudar a entender melhor as associações mentais da cor escura da pele com algo negativo e as manifestações fisiológicas desse tipo de reação, como aponta o The Next Web.

Racismo, apenas aponta os "efeitos colaterais" associados a tais condições, embora haja a necessidade de realizar novos testes para confirmar tal capacidade.



FONTE: TECMUNDO

Postar um comentário

0 Comentários