Manifestação por direitos humanos em jogo

 


Eliminatórias da Copa de 2022, o presidente da Federação Alemão de Futebol (DFB), Fritz Keller, confirmou que o alvo da manifestação era a organização do Mundial do Catar e afirmou que a iniciativa partiu dos próprios jogadores, com apoio da DFB.

Branca na roupa formando a expressão Human Rights (Direitos Humanos, em inglês). Um vídeo divulgado nesta sexta pela DFB mostrou os jogadores da seleção pintando as letras nas camisas.

Quando vi o resultado, e que os jogadores tinham eles mesmos pintado as camisas. Já dissemos muitas vezes que queremos jogadores que carreguem responsabilidade. Acho fantástico que eles levaram isso adiante. Temos jogadores comprometidos e que se importam com o que está acontecendo no mundo - afirmou Keller em entrevista ao site da DFB.

Melhores condições de trabalho para os operários das obras da Copa do Mundo do Catar, principalmente os estrangeiros. Embora seja contrária a manifestações políticas nos campos, a Fifa decidiu não abrir procedimentos disciplinar para investigar os dois protestos nas eliminatórias da Europa.

Mandaram ontem (quinta-feira), como a que fez a seleção norueguesa na véspera, está correndo o mundo. Cada mensagem é poderosa, mas claro que devemos continuar erguendo nossas vozes. Jogamos para as pessoas, não para os governantes - declarou o presidente da DFB.

Essa ideia, alegando que a realização do Mundial está jogando luz sobre a questão dos direitos dos trabalhadores no Catar, pensamento semelhante ao do técnico da Bélgica, Roberto Martínez.

Estão em evidência neste momento por uma razão: porque eles vão receber a Copa do Mundo ano que vem. Condições inaceitáveis em outros países não recebem este nível de atenção pública. Eu acredito no poder unificador do esporte para trazer mudanças.



FONTE: GLOBO ESPORTE

Postar um comentário

0 Comentários