Ethereum atualização London já queimou US$ 300 milhões

 

Início deste mês, trazendo consigo o mecanismo de queima de tokens. Desde então, o recurso foi responsável pelo "descarte" de 101 ETHs, equivalentes a cerca de US$ 300 milhões — ou R$ 1,5 bilhão em conversão direta.

Fazem parte das taxas de transações na rede, que eram utilizadas como um incentivo para os mineradores que contribuem no seu processamento, mas agora ficam em contas inacessíveis, visando diminuir a disponibilidade da moeda. Com a medida, a inflação da rede Ethereum, estimada em 5% ao ano, caiu 25% devido à diminuição na oferta total de sua moeda.

Atualização "London" também trata dos preços na rede Ethereum. A novidade facilita a estimativa do custo das transações, conhecido pelos usuários por "Gas", no termo em inglês. Embora tímida, a mudança aumenta a fiabilidade de uso da rede, enquanto a torna mais transparente para usuários iniciantes.

Taxas nas transações, que podem escalar conforme os picos de interesse do mercado como o infame caso dos "tokens não fungíveis", ou NFTs, na sigla em inglês. Felizmente, este problema deve ser solucionado na próxima grande atualização do Ethereum, que também buscará ser mais sustentável em seu gasto energético.

Rede Ethereum segue em alta e registra cerca de 1,2 milhões de transações diariamente, conforme explicitam dados do The Block. Tratando-se de valores, o volume representa US$ 8,7 bilhões movimentados por dia e mais de US$ 200 bilhões ao mês.
 

Ethereum, é atualmente negociado por US$ 3.260 e possui a segunda maior capitalização de mercado entre as criptomoedas, estimado em US$ 382,9 bilhões — atrás apenas do Bitcoin, com US$ 918,9 bilhões.


 
 
 
FONTE: TECMUNDO

Postar um comentário

0 Comentários