Trending

Provedor de internet pagava a traficantes

 


Rio de Janeiro lançou uma operação na manhã desta quinta-feira (18) contra uma empresa provedora de internet, que não teve seu nome revelado, suspeita de pagar a traficantes para obter uma espécie de "exclusividade" na exploração do serviço em algumas comunidades. De acordo com o G1, após o pagamento, cabos de companhias concorrentes eram cortados e grupos armados impediam os reparos sob ameaças de morte.

Sinal de TV do grupo, investigado pela operação "Tráfico.com", atua a partir da Ilha do Governador, na Zona Norte do Rio. A quadrilha já teria atuado em comunidades de Dendê (na própria ilha), do Morro dos Macacos (Vila Isabel), Manoel Correa e Jardim Nautilus (Cabo Frio), Vila Tiradentes (São João de Meriti) e Jacaré (Niterói).

Serviços Delegados (DDSD) revelaram que a empresa presta serviços na distribuição de sinal de internet, telefonia e TV a cabo, e que efetua pagamentos semanais aos líderes do tráfico nas comunidades abrangidas pela cobertura, para que as empresas concorrentes sejam afastadas, no sentido de criar um verdadeiro monopólio na região.

Instaladores da Oi, Vivo e Claro, indivíduos armados os abordavam quando eles chegavam às comunidades dominadas pelo provedor associado ao tráfico, e os expulsavam sob ameaças com armas de fogo. Muitas dessas chamadas destinavam-se justamente a serviços de reparos em equipamentos vandalizados ou incendiados pelos próprios criminosos.

Suspeita tenha obtido nessas regiões mais de 20 mil clientes, com um faturamento bruto mensal superior a R$ 1 milhão.




FONTE: TECMUNDO

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem