Covid-19 Carnaval é cancelado Recife e outras 10 capitais

 


Quadro atual de Covid-19 e ao aumento de infecções pelo vírus influenza. Uma decisão sobre a realização do Carnaval de rua da cidade de São Paulo é esperada para esta quinta-feira (6), mas 32 blocos já cancelaram ao menos 41 desfiles, e associações de rua lançaram manifesto contrário.





Prefeitura não patrocinará o Carnaval de rua: Belém, Belo Horizonte, Campo Grande, Cuiabá, Curitiba, Florianópolis, Fortaleza, Recife, Rio, Salvador e São Luís.







Disse que a decisão sobre o Carnaval de rua caberá às prefeituras, mas se posicionou contrário à realização. "Não é o momento para aglomerações dessa ordem. Portanto, a recomendação é evitar que aconteça.






Disse considerar "impensável manter o Carnaval [de rua] nestas condições". "Mesmo o Carnaval de desfile, nós temos de ter uma preocupação, porque essas pessoas, para chegar ao local de desfile, vão se aglomerar no transporte coletivo, vai ter aglomeração na entrada, na saída. E isso sempre é um risco", afirmou.






Promover festividades públicas neste momento, uma vez que a cidade recebe, em média, 4 milhões de foliões de cerca de 80 países. "Eu sempre disse que nós estávamos preparados para realizar o Carnaval da nossa cidade em 2022 desde que as condições por conta da pandemia fossem favoráveis. No entanto, o cenário pandêmico não nos permite fazer este que é o maior Carnaval do mundo.






Blocos de artistas e produtores famosos, como Pipoca da Rainha (Daniela Mercury), Bloco do Alok, Bloco do Abrava (Tiago Abravanel) e Bloco do Kondzilla (ligado ao funk).







Municipal de 30 de dezembro. O número não inclui os blocos que pediram o cancelamento e os 23 suspensos por não enviarem todos os dados exigidos. Entre as confirmações até o momento estão blocos novatos, populares e tradicionais, como Esfarrapado, Acadêmicos do Baixo Augusta, Galo da Madrugada, Frevo Mulher (de Elba Ramalho), Bicho Maluco Beleza (Alceu Valença), Monobloco e outros.





Integrada por cerca de 60 blocos, e a Ubcresp (União dos Blocos de Carnaval do Estado de São Paulo) se manifestaram contrários à realização dos desfiles.





Ensaios no fim de 2021 demonstrou ser inviável a manutenção do Carnaval, pois parte dos blocos registrou casos de coronavírus entre integrantes nos eventos, mesmo restritos para algumas dezenas de participantes e com o uso de máscara e imunizados.









FONTE: R7 ,  DIA BRASIL NEWS, AJUDE NOSSO SITE COMPARTILHANDO NOSSO CONTEÚDO  GALERA ...........

Postar um comentário

0 Comentários