Médicos da rede municipal de SP decidem fazer paralisação

 


UBSs (Unidades Básicas de Saúde) da cidade de São Paulo, votaram pela paralisação da categoria na próxima quarta-feira (19). Os profissionais reclamam das equipes desfalcadas diante do alto número de trabalhadores afastados por causa de sintomas gripais e do não pagamento de horas extras.








Segunda-feira (17) para que ela apresente um plano de reposição dos funcionários ausentes, de modo que a paralisação seja reavaliada. Outra reivindicação da categoria é a desobrigação do comparecimento em fins de semana e feriados.










Representa cerca de 100 mil médicos do estado (60 mil deles da capital paulista), havia quase 150 presentes na assembleia que aprovou o movimento nesta quinta-feira (13). De acordo com o sindicato, a categoria está há "mais de dois anos com uma intensa sobrecarga e sofrendo com adoecimento físico e psíquico".









Com 94.526 profissionais. Segundo o sindicato, ao menos 50 UBSs visitadas pela entidade relataram desfalques nas últimas semanas. O cenário tem piorado desde o fim do ano, com o espalhamento da variante Ômicron do coronavírus, mais contagiosa, e da influenza.









Havia autorizado o pagamento de horas extras dos profissionais pelas OSSs (Organizações Sociais de Saúde). A pasta justificou que aguardava o novo ano fiscal para saldar o pagamento aos profissionais de saúde envolvidos diretamente no atendimento aos afetados pela pandemia de Covid-19.







Abertura das unidades aos sábados o que se dava em algumas etapas da vacinação – passou a ocorrer para ampliar os atendimentos. A medida deve ser mantida até que haja diminuição dos casos de sintomas respiratórios na capital paulista.






FONTE: R7 , DIA BRASIL NEWS, AJUDE NOSSO SITE COMPARTILHANDO CONTEÚDO NOSSO GALERA ...........
Reactions

Postar um comentário

0 Comentários