Ansiedade pela 4ª dose da vacina não ajuda segundo fala do Queiroga

 



Cobrança pela adoção da quarta dose da vacina contra Covid-19 não auxilia no combate à pandemia. Segundo ele, essa aplicação entrará no rol de medidas contra o coronavírus quando a área técnica da pasta reunir evidências de que ela é necessária para que as pessoas estejam mais protegidas contra a doença.





Dose sem evidência científica também não ajuda no enfrentamento da pandemia. É fundamental avançar a dose de reforço, eu tenho dito e reitero”, declarou.






Enfrentamento à Covid-19 está analisando a aplicação da quarta dose para a população com 18 anos ou mais e vai orientar sobre a adoção da medida no momento em que houver indicação técnica. O Ministério da Saúde não tem compromisso com a adoção de doses de vacina “que for em desconformidade com o que foi decidido pela área técnica”, disse.






Brasil não deverá aplicar a quarta dose da vacina contra a Covid-19 por enquanto. Ele usou como argumento um parecer do grupo técnico da Secovid indicando que a "dose de 2022" ainda não seria recomendada.  "A secretária Rosana [Leite de Melo, secretária extraordinária de enfrentamento à Covid do Ministério da Saúde] conversou comigo na sexta-feira passada e disse que o grupo técnico, neste momento, não avalia aplicar a quarta dose. Mas na prática seria a dose de 2022.





Deve trabalhar para que a campanha de imunização chegue a todos os públicos indicados para receber as vacinas. "O que nós temos é doses para garantir que todas as doses necessárias que sejam recomendadas pelos técnicos sejam disponibilizadas para a população brasileira.






Queiroga disse que o estado não terá garantia da pasta de que receberá os imunizantes. “Primeiro, não tem evidência científica nem base técnica para fazê-lo no momento. Em segundo lugar, quando se faz em dissonância com o que o Ministério da Saúde  recomenda, nós não temos compromisso de entregar doses.





Aplicar a quarta dose, mas que a aplicação não será adota neste momento. "Não afirmamos que a quarta dose seria aplicada imediatamente. Considerar não significa aplicar, principalmente aplicação imediata. Vacinamos a população todos os anos. Não houve nenhuma afirmativa que será aplicada no curto prazo", disse o governador João Doria.





Esse número precisa ser ampliado, disse o chefe da pasta, que voltou a dizer que há imunizantes disponíveis e que é necessário convencer a população sobre sua importância.






70 milhões de doses com estados e municípios. Tem que ser aplicadas como dose de reforço. Essa é a nossa orientação, que temos dado de maneira reiterada”, declarou.







FONTE: DIA BRASIL NEWS, AJUDE NOSSO SITE COMPARTILHANDO CONTEÚDO NOSSO GALERA ...........

Postar um comentário

0 Comentários