Vivo marca chinesa é acusada de lavagem

 

Abriram investigação contra a empresa por suposta lavagem de dinheiro. O caso está sendo conduzido pela Diretoria de Execução (ED) da Receita local, que em maio confiscou US$ 725 milhões das contas da Xiaomi.

Realizou buscas em mais de 40 lojas e escritórios da marca chinesa na Índia. Não foram divulgadas maiores informações sobre a investigação, com a ED afirmando apenas que se trata de possíveis violações à Lei de Prevenção à Lavagem de Dinheiro (PMLA).

Smartphones da Vivo que atua na região de Jammu e Caxemira está entre os alvos das autoridades locais. Pelo menos dois acionistas da companhia foram acusados de falsificar documentos e comprovantes de endereço, gerando desconfiança por parte do governo indiano.

Respeito das investigações por lavagem de dinheiro em andamento. Vale destacar que a fabricante está entre as cinco marcas que mais vendem celulares no país, atualmente, onde conta com cerca de 10% do mercado.

Os problemas começaram após as tensões entre as tropas de ambos os países no Himalaia, em meados de 2020.

Delas por suposta sonegação de impostos e a outra por remessas para empresas estrangeiras que teriam sido feitas de forma ilegal. As acusações foram negadas pela gigante chinesa.



FONTE: DIA BRASIL NEWS, AJUDE O NOSSO SITE COMPARTILHANDO NOSSOS CONTEÚDOS .....


Postar um comentário

0 Comentários