Qual o processo para criar um game

 

Artesanal, como Braid (desenvolvimento unicamente por Jonathan Blow) e Stardew Valley (Eric Barone), os games são criados a partir de várias pessoas que se especializaram em funções específicas.

Indústria precisasse contar com artistas, programadores, designers, roteiristas, animadores, publicitários, administradores e muitos outros profissionais, que direta e indiretamente participam da criação de um título.

Também são menores, a divisão do trabalho é menos acentuada e várias pessoas acabam fazendo várias funções. E para entender como um jogo sai do papel para chegar até às lojas, o Voxel conversou com professores da Faculdade Méliès.

Nós conversamos com Rafael Lucio de Mattos e Lia Fuziy, que são professores da Méliès e desenvolvedores, e com Gabriel Pereira, que é artista 3D e coordenador de jogo na Méliès.

Começar um jogo e que há pontos fortes e fracos em cada uma das abordagens.

De se pensar em um jogo que se quer fazer. A primeira delas é buscando referências, que de acordo com ele, é um dos métodos mais comuns para quem está começando na indústria. A pessoa gosta muito de algum título e querem fazer algo naquele sentido. Um jovem que é fã de Resident Evil 4, por exemplo, pensa em utilizar a visão de câmera no ombro em 3ª pessoa, a mira com retículo, o clima de terror etc.

Têm como ponto de partida mecânicas específicas, que vão sendo testadas até se chegar a um conceito final.

Verificar se na prática as regras funcionam e se não há crashes ou bugs que atrapalham a experiência do jogador. “O formato é legal porque é possível explorar a mecânica até quebrar ou achar algo interessante.

Esse tipo de procedimento para pensar em um game é preciso ter domínio técnico, já que tudo se inicia a partir dos testes com engines (os motores, onde os games são programados).



FONTE: DIA BRASIL NEWS, AJUDE O NOSSO SITE COMPARTILHANDO NOSSOS CONTEÚDOS .....
Reactions

Postar um comentário

0 Comentários